A geração Z e o consumo de moda

11651113_10206910546827230_1119541174_n (1)

Você já ouviu falar nas diferentes gerações que coabitam os ambientes de trabalho? Então você já deve ter ouvido falar também em classificação de gerações. Os Baby Boomers, por exemplo, são aqueles nascidos entre a década de 1950 e 1960, pós segunda guerra mundial. Um época de grande explosão demográfica.  São os filhos da TV. Depois começou-se a falar na geração X dos nascidos entre os anos 60 e 70. Eles viram o surgimento da internet e foi a partir dessa geração que surgiram as preocupações ecológicas. Depois veio a geração Y – que está hoje na faixa dos 20 e 30 anos e que acompanhou a revolução tecnológica desde o início.

Se antes essa classificação era feita de 25 em 25 anos, agora especialistas apontam para novas gerações quase a cada 10 anos. São novas pessoas que agem e consomem produtos e serviços de formas totalmente diferentes das anteriores. A nova geração, que está ai pronta para uma nova revolução em termos de consumo e comportamento, é chamada de geração Z. Na definição sociológica: são aqueles nascidos a partir de 1995 até hoje—e tem até 17 anos de idade. São os nativos digitais, jovens que nem sabem direito o significado da palavra offline.  Vivem facilmente no virtual e muitas vezes tem dificuldades no real. Mas o que essa geração Z está provocando em termos de consumo e o que esperam da moda?

Bem, é uma geração que percebe o mundo sem fronteiras e está mais preocupada com o meio ambiente, com causas sociais, a sustentabilidade e o consumo consciente.  O que mais compram? Moda e tecnologia. Segundo uma pesquisa da empresa americana JWT Inteligence,  quase 60% dos entrevistados, preferem comprar online roupas e acessórios. Valorizam o dinheiro e pesquisam muito mais que as gerações anteriores.  Uma geração, que segundo as pesquisas, quer verdade, conteúdo e transparência por parte das marcas em geral e ,principalmente, quer fazer a diferença no mundo. Eu sou Samira Campos, classificada como geração X, mas confiante na geração Z, que parece que sabe o que quer.

Escrito por

Uma jornalista de moda que adora mergulhar na profundidade das coisas e que abomina superficialidades. Principalmente quando dizem que a moda é superficial! Ama um bom cashmere, um acessório marcante e um sapato confortável, sem nunca abrir mão da arte e do design.

DEIXE UM COMENTÁRIO