Giovanni Frasson: livro e carreira internacional

Giovanni-Frasson-1

Giovani

Tempo de renovação para Giovanni Frasson.  Um dos diretores de moda mais influentes do país resolveu se reinventar, abandonar velhos hábitos e investir em novos desafios. Um passo que requer uma boa dose de coragem para deixar para trás  27 anos de trabalho como diretor de moda da Vogue Brasil, uma revista que o jornalista ajudou a construir.

Para comemorar o aniversário de 30 anos de carreira  ele está escrevendo um livro, ainda sem nome, onde irá contar – em imagens – a história da moda brasileira nas últimas 3 décadas. “Se eu não tomasse essa decisão de sair da Vogue agora, aos 52 anos, eu acho que não teria mais tempo para tomar essa decisão. Eu queria me dedicar à outros projetos pessoais como o livro e aos trabalhos de consultoria que eu sempre gostei tanto”, confessa Giovanni. O jornalista foi também convidado para ser diretor editorial da Globo Conde Nast no Brasil como conselheiro da Vogue, GQ e da Glamour, além de diretor editorial pela Condé Nast Internacional pela Vogue México e Vogue Latino América.

Com tantos novos desafios, agora, Giovanni segue em voo solo, colhendo os frutos do que plantou e ajudando novas marcas. “É tempo de olhar para dentro. Viajar, aprender e usar o conhecimento em casa”, compartilhou o profissional que durante o Minas Trend trabalhou como stylist da grife mineira Vivaz. Traduzindo o momento da moda nacional ele diz, “É o momento de voltar pra casa”. Segundo ele, as empresas precisam olhar para suas raízes, suas histórias, focar nos seus nichos de mercado, valorizar seus funcionários e criar uma moda mais autêntica e original. “A Vivaz por exemplo, buscou inspiração em uma coisa absolutamente nacional como a jabuticabeira e no quadro “O Jangadeiro”, do pintor Cândido Portinari. Um trabalho couture e sofisticado que poderia estar em qualquer passarela do mundo”,  finaliza.

 

por PRISCILA ANDRADE

Escrito por

Uma jornalista de moda que adora mergulhar na profundidade das coisas e que abomina superficialidades. Principalmente quando dizem que a moda é superficial! Ama um bom cashmere, um acessório marcante e um sapato confortável, sem nunca abrir mão da arte e do design.

DEIXE UM COMENTÁRIO