O Abacate é o novo símbolo da moda

c50a809251517f0e3b4fe47eef9f1ce4 (1)

Ele está por toda a parte. Fazendo companhia à sushis, no guacamole, nas saladas, em dietas descoladas e até na política. Estou falando do abacate. Fruta ou legume? Nenhuma duas coisas. Segundo a Wikipédia o abacate é o pseudofruto comestível do abacateiro. Nativo do México e da América do Sul, ele é hoje uma verdadeira febre mundial, basta abrir uma revista de moda ou de gastronomia e ver que ele é onipresente.  Só para você ter uma ideia, em 1999 os americanos consumiam 500g de abacate por pessoa/ano. Hoje, cada americano consome em média 2 kilos e meio de abacate, por ano. Virou febre de consumo em Hollywood. Na série True Detective segunda temporada, Frank Seymon sonha em ser fazendeiro para cultivar abacates. Segundo o New York Times, é um alimento low profile, cheio de méritos. É um anti-diabético que regula o colesterol e favorece a digestão. A atriz Gwyneth Paltrow passou a promover o abacate no instagram como o novo queridinho da saúde e do bem estar, e o abacate passou a ter mais likes que a couve do tão badalado suco verde. A cantora Miles Cyrus chegou a tatuar um abacate no braço e a foto que colocou no instagram já recebeu mais de 350 mil likes.

Na Califórina, por causa da seca, ficou famoso o caso do ator Tom Selleck, que roubou água para regar sessenta hectares de sua fazenda de cultivo de abacates. Na internet, o Abacate deixou a esfera gastronômica, e está fazendo sucesso também na política. No início de julho uma conta do twitter lançou uma pesquisa chamada Avocado Fact que fez a seguinte pergunta: quem você quer ver na Casa Branca, um abacate ou Donald Trump? Resultado: mais de 80 mil votos para o abacate e somente 8000 para o milionário. E quando uma cronista do New York Times tenta recriar uma receita do guacamole adicionando ervilha, a web fica indignada criando o #guacamolegate, fazendo paródia ao Watergate que derrubou o ex-presidente americano Richard Nixon. O atual, Barack Obama, aproveitou a deixa e comentou com humor: não se coloca ervilha no guacamole. É cebola, alho e pimenta. Um clássico! 

Escrito por

Uma jornalista de moda que adora mergulhar na profundidade das coisas e que abomina superficialidades. Principalmente quando dizem que a moda é superficial! Ama um bom cashmere, um acessório marcante e um sapato confortável, sem nunca abrir mão da arte e do design.

DEIXE UM COMENTÁRIO