Renda e detalhes artesanais brilham na moda festa do Dragão Fashion

destaque

 

Ao longo da última semana, o Dragão Fashion comemorou seus 18 anos de história celebrando a região Nordeste como uma usina criativa e multicultural, símbolo de resistência e oásis da moda autoral no país. O evento se consagra como uma vitrine de novos e já consagrados talentos, além de mostrar todo o potencial do artesanato da região, que nas passarelas ganhou interpretações de tirar o fôlego. A moda festa foi a mais marcante, trazendo tecidos e texturas feitos à mão com um preciosismo digno de passarelas internacionais.

A marca Villô Atelie, comandada pelas designers Emily Dias e Vivianne Pinto, sempre teve o trabalho artesanal como foco das criações. Os mais diversos pontos do crochê e toda a sua ampla gama de possibilidades fascinam a dupla, que apresentou uma coleção marcada pela elegância e pelo mix de texturas. Fios metalizados e muitos bordados manuais enriqueciam os vestidos vazados, com transparências na medida certa para destacar a silhueta feminina e valorizar os detalhes minuciosos de cada peça, que é inteiramente confeccionada à mão e leva horas para ficar pronta.

Villô Ateliê Verão 2018  © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Villô Ateliê Verão 2018 © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Na passarela da Rendá, tons vibrantes e bem acesos mostram a renda surge em toda a sua exuberância. Do roxo ao vermelho, passando pelo verde brilhante, a paleta é a cara do verão e até mesmo os vestidos em tons terrosos ganham bordados coloridos com motivos da natureza. Para a noite, os pretos sensuais se destacam pelos recortes ousados e estrategicamente planejados para deixar a mulher ainda mais feminina.

Rendá Verão 2018  © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Rendá Verão 2018 © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Quem também trouxe um belíssimo trabalho foi a veterana Almerinda Maria, reconhecida pela riqueza da sua renda Renascença. Regionalista, ela sempre trabalha com materiais típicos do Ceará e mostra todo o potencial de exuberância dos tecidos tramados à mão. Com inspiração nas deusas do Olimpo, a coleção tem uma cartela de cores adocicada e modelagens bastante curvilíneas, criando um contraponto interessante entre a delicadeza e a força feminina passadas pelo tema central.

Almerinda Maria Verão 2018  © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Almerinda Maria Verão 2018 © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Uma das maiores referências em moda festa do Nordeste, o estilista Ivanildo Nunes apresentou uma coleção de tirar o fôlego. Inspirado pelo movimento das esculturas do usso Naun Gabo, ele trouxe para a passarela vestidos ultra sensuais, repletos de transparências e formas geométricas criadas a partir dos bordados em canutilho. Fios, linhas e movimentos longilíneos elegantes, alinhados a técnicas brasileiras, nordestinas e cearenses, mostram que o trabalho do estilista une design, arte e artesanato em uma única apresentação. Na base das peças, muita renda de bico, crochês delicados, tules e renda richelieu, tingidos por uma profusão de preto, branco e tons de roxo.

Ivanildo Nunes Verão 2018  © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

Ivanildo Nunes Verão 2018 © Roberta Braga, Cláudio Pedroso e Pedro Brago

RSB_2543

A noiva de Ivanildo Nunes e toda a exuberância do bordado sobre rendas feitas à mão.

Por: Francieli Hess

Escrito por

Uma jornalista de moda que adora mergulhar na profundidade das coisas e que abomina superficialidades. Principalmente quando dizem que a moda é superficial! Ama um bom cashmere, um acessório marcante e um sapato confortável, sem nunca abrir mão da arte e do design.

DEIXE UM COMENTÁRIO