Ronaldo Fraga – Inverno 2013

RONALDO FRAGA - SPFW Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

  • Ronaldo Fraga - Inverno 2013

Inspirada no trabalho do ilustrador mineiro Paulo Marques de Oliveira,  o estilista Ronaldo Fraga, apresentou uma coleção de inverno 2013 rica em detalhes, com muita mistura de tecidos e peças repletas de assimetrias.  As grandes apostas do estilista foram nos conjuntinhos e nas estampas de casas, setas, folhas e flores, criando peças simples, mas com toques generosos de modernidade. Os shapes, mais justos ao corpo, que apareceram em camisas sem manga, fizeram contraponto com calças mais soltas na região dos quadris. Peças feitas em tules finíssimos, apareceram ao lado de maxi tricôs enormes, que surgiram para aquecer o inverno da marca. Vestidos, com estampas de figuras abstratas, surgiram cheios de dobraduras, criando um efeito precioso que lembrava folhas de papel.  A cartela de cores, era composta pelos tons invernais de berinjela, roxo, azul carbono e leves pinceladas de rosa.

 

Escrito por

Uma jornalista de moda que adora mergulhar na profundidade das coisas e que abomina superficialidades. Principalmente quando dizem que a moda é superficial! Ama um bom cashmere, um acessório marcante e um sapato confortável, sem nunca abrir mão da arte e do design.