Showroom é a nova loja: entenda como esse modelo de varejo inesperado está fazendo cada vez mais sucesso

showroom

A indústria da moda está passando por muitas mudanças nos últimos anos, tudo para tentar se aproximar cada vez mais dos consumidores. O WGSN aponta que esta tendência está fazendo com que o showroom (espaço antes reservado apenas para os compradores em larga escala) se transforme em loja de varejo, promovendo uma experiência de compra ainda mais intimista.

Em Paris, a pioneira Paper Mache Tiger é um showroom de moda dinâmico, que abriga várias marcas e oferece uma gama de serviços em vendas, comunicação e imprensa. Eles perceberam que o showroom estava atraindo cada vez mais interesse e resolveram transformá-lo em uma loja, pensando também em auxiliar as marcas estrangeiras que representavam e ainda não tinham estoques físicos em Londres. Foi assim que, há um ano atrás, a loja Paper mache Tiger nasceu. O espaço é administrado diariamente pelo pessoal do varejo, com a equipe de vendas e comunicações fazendo tours as finais de semana. Dentro de um galpão bem iluminado e cheio de plantas, “tudo além do sofá pode ser comprado”. Marcas de moda, velas, papelaria, cristais e decoração se fundem em um único ambiente, que também realiza eventos pontuais.

Newness at @PaperMacheTigerShop 🌵🐉🐲Come Say Hey this weekend! 👋

Un post condiviso da Paper Mache Tiger (@papermachetiger) in data:


showroom 3

Imagem via WGSN Insider showroom 2 Imagem via WGSN Insider

Notting Hill é um dos bairros mais badalados de Londres e o espaço perfeito para a loja showroom da nova marca Galvan London. De longe, o espaço pode parecer uma boutique comum, mas por dentro ele serve como showroom, estúdio, escritório e loja, integrando a equipe de criação com o consumidor final. Você pode comprar as últimas coleções, agendar provas de roupa ou ainda passar apenas para conhecer. De acordo com o WGSN, o local é recheado de plantas que tornam a experiência relaxante e muito mais intimista do que uma compra comum.

showroom 1

Para as empresas, esse novo modelo de varejo é interessante pois permite a chance de conviver e entender melhor quem realmente compra seus produtos. Os feedbacks ocorrem em tempo real, então fica muito mais fácil entender as relações de compras e os desejos daqueles que visitam o espaço, como por exemplo tamanhos e cores diferentes. No geral, a tendência é um reflexo do que estamos vendo em toda a indústria da moda, com os espaços tradicionais sendo repensados de forma mais inclusiva e mais próxima do público final. Dos desfiles às feiras, o aspecto intimidador e “clubista” que a moda tinha vem aos poucos sendo substituído por uma abordagem mais acolhedora, que envolve o consumidor no processo e o aproxima das suas marcas preferidas.

 

Escrito por

DEIXE UM COMENTÁRIO